DADOS ESTATÍSTICOS DO BANCO ALIMENTAR DE PORTALEGRE

Este gráfico apresenta a evolução anual do número de pessoas assistidas pelo conjunto das instituições apoiadas pelos Bancos Alimentares em actividade.

conheça toda ahistóriaBanco Alimentar de Portalegre

Nos últimos anos da década de 90 do século passado, um grupo de pessoas ligadas às paróquias da cidade de Portalegre, procuraram estudar a hipótese da criação dum banco alimentar.

Nos últimos anos da década de 90 do século passado, um grupo de pessoas ligadas às paróquias da cidade de Portalegre, procuraram estudar a hipótese da criação dum banco alimentar. Contudo a ideia não avançou.

Cerca de 10 anos depois, por iniciativa do Técnico Superior de Serviço Social, António Ataíde, e do Centro Social e Comunitário de S. Bartolomeu, em especial a sua directora, Irmã Ester Freitas, foi elaborado um projecto – “Projecto Enraizar” - no âmbito do programa “Progride”, destinado a uma intervenção social em bairro problemático da cidade de Portalegre, que mereceu aprovação superior por parte dos órgãos nacionais e regionais de Segurança Social. Do conjunto das acções previstas nesse projecto, constava, logo no 1º ano da sua execução, o lançamento das bases e condições necessárias à criação de um Banco Alimentar Contra a Fome.

A equipa responsável pela execução do projecto, constituída pelos técnicos superiores António Ataíde, Filipa Tavares, Maria Filomena Jacinto, Maria João Coelho e Sandra Miguel, convidou várias pessoas da cidade para lhes expor o objectivo do projecto nesta área específica. De tal maneira a proposta foi aceite que logo se realizaram diversas reuniões com a finalidade de “pôr de pé” um Banco Alimentar.
Contactada a Federação Portuguesa de Bancos Alimentares foi a ideia prontamente apoiada e incentivada, com a deslocação da sua Presidente, Dra Isabel Jonet, e outros elementos a esta cidade.

Estavam dados os primeiros passos para a efectiva criação duma Associação de cariz solidário, com área de influência correspondente ao distrito de Portalegre, denominada PACIA – Portalegre Associada Contra a Insuficiência Alimentar – cuja existência e estatutos foram oficializados por escritura pública em 15 de Novembro de 2006. Na II Série do Diário da República nº 24 de 2/2/2007 foi publicado o registo da Associação PACIA como Instituição Particular de Solidariedade Social.

Em 24 de Março de 2007 era assinado um protocolo entre a PACIA e o Banco Alimentar Contra a Fome de Lisboa, através do qual aquela Associação era autorizada a usar o nome, a marca e os símbolos de Banco Alimentar Contra a Fome.

Estava constituído o BANCO ALIMENTAR CONTRA A FOME DE PORTALEGRE.

ler mais

Estes são os Númerosque fazem a diferença em Portalegre em 2015

  • 157ton

  • 49

  • 5000

Notícia

BA Portalegre recolhe alimentos para ajudar quem precisa

25.05.16

Os Bancos Alimentares Contra a Fome lançam mais uma campanha de recolha de alimentos em supermercados, com voluntários, nos dias 28 e 29 de Maio de 2016.

Ler mais